Consiste em menosprezar o interlocutor, em vez de atacar o argumento, ou, no caso de uso circunstancial, baseia-se em trazer à tona questões irrelevantes da pessoa não relacionada com as premissas. No entanto, nem todos os argumentos ad hominem é falso, como é o caso da testemunha que é tachada por seu relacionamento com as partes, embora seja falacioso afirmar que tudo o que foi afirmado pela testemunha é falso.

ÉTICA, Centro e. Falacias y Argumentación jurídica en las sentencias. Disponível em https://www.centroeticajudicial.org/uploads/8/0/7/5/80750632/falacias_y_argumentaci%C3%B3n_jur%C3%ADdica_en_las_sentencias.pdf.